terça-feira, 15 de julho de 2014

Russeau, o Futebol e o Brasil

"Eu senti antes de Pensar".
                     (Rousseau)

Jean Jacques e eu passeamos, a fotografar nas beiras de mangues, de mar, nas dobras da vida. A beira do cais cheira atraências...
Ele diz, 'não me admira, Mara (ele me chama pelo primeiro nome), seu envolvimento com o futebol.
Combinamos de ver somente a abertura, para fazer uma crítica dos artifícios humanos. Mas, presos pela nossa natureza, assistimos ao primeiro jogo. Depois, como que numa novela, seus capítulos a desenrolar, as farsas, as manipulações, a angústia, os divórcios, os crimes de chutes, de mordidas, de acotovelamentos... Incorremos no mesmo ato: Sentimos antes de Pensar.'
Eu e Jean Jacques comentamos o tosco, o hilário e também filosofamos. Não entendemos muito de técnica de futebol, mas sabemos o que é impedimento. Aliás, descobrimos que hoje em dia qualquer um sabe: o que nos embota um pouco o mérito.
Sussurramos subjetividades acerca das camisas de futebol muito justas no peito dos jogadores, e comentamos como sua o Hulk. Fotografamos as caras de glória, de dor e de desespero dos jogadores.  Escalamos seleções especiais: só de homens grandes, só de afro-descendentes, só de juniores, só de latinos.
Depois, nos divertimos lendo as piadas que os brasileiros criam sobre si mesmos... E rimos, rimos...
Fiz as fotos destes pássaros em Rio do Sul, mas Rousseau não estava comigo. Dedico a ele, que gosta tanto do Brasil...




Nenhum comentário:

Postar um comentário