domingo, 17 de outubro de 2010

O Homem


Como certos seres que seguem apenas sendo, ele entrou discreto, pouco falou e saiu também a passo lento, entrementes, rápido sumiu na estrada poeirenta.

O homem pareceu-se a certos dias de nossa vida, que chegam discretos, sem sustos. Começam nublados e teminam noite, e nada de novo acontece.
Mas tenho a fotografia...

3 comentários:

  1. Fotografia pra mim tem som, cheiro, sabor, sentido na pele...
    Uma máquina do tempo na mente, magicamente capaz de trazer um instante passado como uma realidade presente.
    Ver através dos olhos de alguém, uma boa fotografia, é encarnar por um momento naquele instante único do autor, e pele sua visão borbulhar os sentidos na imaginação.
    Enfim, essa foto mexeu muito comigo!

    (depois que li o que escrevi... achei que ficou muito comum, batido... sei lá! Mas era o que eu estava sentindo. Realmente senti cheiros, ouvi barulhos e uma sensação térmica na pele...)

    ResponderExcluir
  2. Nem consigo saber se gosto mais da fotografia ou da poesia!

    ResponderExcluir
  3. Obrigada, meninas... Sempre, sentir sempre, sentir muito... Buscando o horizinte, com palavras, imagens ou braçadas... Ou, -né, Ana? como disse a Dory: 'continue a nadar...'

    ResponderExcluir