sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Aconteceu em Piratuba

Uma cidadezinha bem na curva "S" do Rio do Peixe, um lado do estado que eu não conhecia, um sentimento meio esquecido, uma sensação no corpo já esquecida. O calor das águas e das gentes e tudo fica muito bem, e mais as cachaças com os amigos, antes do almoço, ou os vinhos coloniais ao jantar...
O festival pareceu-me um sucesso, agricultores, cineastas, técnicos e afins satiseitos pelo que viam, eu comia uma rosca com nata num lugarzinho que era o café colonial, com os amigos, e é um lugar onde chegam os secretários das coisas municipais, e o prefeito e todos os outros que somos nós mesmos, e as conversas versam sobre a festa, o cotidiano, as chuvas, a agricultura e o desejo. Nem sei se eles sabem que falam sobre o desejo quando falam daquilo que fizeram acontecer, o belo festival, onde se fazem presentes também os espertos, os homens da capital, os senhores da senzala - mas, sorte, nada disso abala o fantástico ritmo bem resolvido da cidade tão bela de Piratuba.
Bom o bailado, as vaneiras, mas no fim, sempre falta um 'chamamé'...
E o rio segue seu curso, não obstante jamais ser o mesmo...

A foto que posto, do Centro de Eventos de Piratuba, é de autoria do Nilson, querido amigo, da Epagri. Ele também gosta de céu nublado com nuvens que falam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário