domingo, 16 de maio de 2010

O Eterno Retorno

Enquanto estudo fotoetnografia, pratico-a.
É o início da nova temporada da Pesca Artesanal da Tainha. Da pesca em alto mar também, só que agora há uma proteção do Ibama de 800 metros a partir da praia, que determina que os barcos a motor não podem entrar. Isto beneficia o pequeno pescador. Também, a época do 'defeso' aumentou. Nos últimos dois anos, não é mais a partir do dia primeiro de maio, mas a partir de 15 de maio que se pode pescar tainhas. Com o defeso, a reprodução desta espécie é beneficiada, e por conseguinte, todos os pescadores, pois há mais tempo para a desova.
Mesmo com a pesca e suas regras governamentais, há uma pesca paralela. Ela é feita de vida, dos companheiros, da partilha, da observação, das conversas e cafés antes do sol, do frio e dos ventos partilhados nas dunas, do entra e sai da canoa e das vezes de peixe e fartura e das pescas de peixe minguado e caldinho no rancho. Há algo no universo que me protege, pois faço parte de tudo isto.
Algumas fotos da reunião de abertura. Dos companheiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário